Escola de Verão da FPCE-UC

I AÇÃO DE FORMAÇÃO: PROCESSOS DE RADICALIZAÇÃO E ESTRATÉGIAS DE INTERVENÇÃO
27 de junho a 1 de julho 2016

Apresentação:

A Ação de Formação “Processos de Radicalização e Estratégias de Intervenção” pretende promover a discussão em torno dos fatores multifacetados de construção da violência contemporânea, com contornos de radicalização, e dos (novos) riscos socioculturais, identificando os processos envolvidos na sua construção, bem como as medidas e estratégias de intervenção, inovadoras, operativas e integradas, junto das respetivas vítimas (refugiados, pessoas traficadas, entre outras).

A Ação de Formação terá uma configuração essencialmente pragmática e interativa contando com a participação de docentes da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, bem como de organizações e profissionais com experiência no trabalho com vítimas de situações violentas, no contexto nacional e internacional.

Objetivos

  1. Identificar e compreender os fatores subjacentes à construção da violência contemporânea, da radicalização e dos (novos) riscos socioculturais;
  2. Preparar os participantes para identificar os grupos de risco e dotá-los de ferramentas para responder a diferentes níveis de violência e de radicalização;
  3. Contribuir para um melhor conhecimento e aplicação de políticas, medidas e processos de intervenção junto de vítimas de fenómenos de violência sociocultural e radicalização extrema.

Conteúdos

    Módulo I – Desfiliação e Riscos Socioculturais nas sociedades contemporâneas

  • Compreender a Violência, o Risco e as Dinâmicas de Desfiliação: Novos dados, novos desafios
  • Pluralismo e Diversidade: De “nós e os outros” para “nós com os outros” - Suficiências e insuficiências das Políticas e Intervenções atuais

    Módulo II - Radicalização: Processos, Fatores e Impactes

  • Compreender para atuar: Limiares e paradoxos na compreensão da radicalização e da radicalização extrema
  • O processo de radicalização: fatores de radicalização individual e grupal e processos de recrutamento/ A importância das novas tecnologias
  • Desafios para a intervenção: impactes nos contextos e nos indivíduos/ Superar julgamentos e dinâmicas de revitimização

    Módulo III – Vítimas e Vitimização: Estratégias de Apoio

  • “Ser Vítima”: Compreensão da vitimização e estratégias de apoio
  • Suficiências e insuficiências das redes formais e informais
  • Silêncios a narrativas em processos de mediação
  • Aspetos éticos gerais no trabalho com vítimas
  • Práticas e Experiências de trabalho com vítimas: Processos de apoio a aprendizagens consolidadas

Duração:

10 horas

Horário

ver calendário

Local:

Sala 2.6 do Edifício II da FPCE.

Formadores

CLARA CRUZ SANTOS
Docente na Licenciatura em Serviço Social da FPCEUC, no Mestrado de Serviço Social da FPCE e Coordenadora do Mestrado de Intervenção Social, Inovação e Empreendedorismo resultante de parceria entre a Faculdade de Economia e a Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra. Atualmente os principais interesses de investigação relacionam-se com os direitos sociais e direitos criminais dos cidadãos e das cidadãs e os temas identitários do Serviço Social.

CRISTINA PINTO ALBUQUERQUE
Professora auxiliar da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra. Possui doutoramento em Letras (Département de Sociologie, Travail Social et Politiques Sociales), na área de especialização Trabalho Social e Política Social, pela Université de Fribourg (Suíça). Leciona nos domínios da Política Social, Ética e Deontologia, Serviço Social e Empreendedorismo Social, com diversas publicações nestas áreas e projetos de pesquisa financiados (nacionais e internacionais), centrados nas questões do desemprego, pobreza, mediação social, desenvolvimento local e tráfico de seres humanos. É investigadora integrada do Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais da Universidade Nova de Lisboa (CICS.NOVA), Unidade de I&D avaliada pela FCT com Muito Bom. Possui Pós Doutoramento em Filosofia Social e Política do Centro de Investigação PHILéPOL (Philosophie, Épistémologie et Politique) da Université Paris Descartes, Sorbonne Paris Cité. Exerce atualmente as funções de subdiretora da FPCE, em segundo mandato (2015-2017)

HELENA NEVES ALMEIDA
Professora Auxiliar da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, doutorada em Trabalho Social pela Universidade de Fribourg (2000, Suiça) com tese sobre a Mediação Social. Leciona nos domínios do Serviço Social e Dinâmicas Grupais, Planeamento Estratégico e Inovação Social, Metodologias de Intervenção e de Investigação Social, Teorias e Modelos de Mediação e Serviço Social e Empreendedorismo, com várias publicações nas áreas de Serviço Social, Saúde, Mediação Social e Comunitária e Sustentabilidade de Iniciativas Sociais Empreendedoras. É coordenadora do mestrado em Serviço Social e consultora científica na área da Mediação Social e Comunitária desde 2013. Possui experiência de coordenação de Investigação no âmbito do Observatório para a Cidadania e Intervenção Social. É investigadora colaboradora do Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais da Universidade Nova de Lisboa (CICS.NOVA).

VANESSA NUNES
Licenciada em Serviço Social pelo Instituto Superior Miguel Torga (ISMT), Mestre em Família e Sistemas Sociais pelo ISMT, Pós-graduada em Protecção de Menores pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra e doutoranda do Programa Interuniversitário de Doutoramento em Serviço Social da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra e da Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa.

ORGANIZAÇÕES COLABORANTES

ONG Akto – Direitos Humanos e Democracia

Os principais objectivos da Akto são:

  • Promover a formação e educação no domínio dos Direitos Humanos e Democracia;
  • Introduzir os jovens na Comunidade Europeia e no programa Erasmus +;
  • Promover atividades interculturais, voluntariado e ativismo entre os jovens.

A Akto e todas as pessoas envolvidas têm uma forte ligação com o trabalho das associações e ONG associadas aos direitos humanos. Tem uma forte experiência na promoção de cursos de formação, dirigidos a jovens, sobre voluntariado, direitos humanos em geral, igualdade de género, emprego seguro para os jovens, tráfico de seres humanos e inclusão social, entre outros.
A Akto está agora a trabalhar no acolhimento dos refugiados recebidos em Portugal. É a representante oficial em Coimbra da Refugees Welcome, uma organização internacional que visa abrigar e dar aconselhamento jurídico e apoio de saúde aos jovens refugiados que são acolhidos num novo país. Relacionado com este trabalho, assegura palestras em escolas para aumentar a consciência sobre a crise dos refugiados, no sentido de erradicar preconceitos e contribuir com uma sociedade não-discriminatória. Em 2016, Akto começou a dar formação nas áreas de direitos humanos e democracia, igualdade de género, direitos LGBT e tráfico de seres humanos.

Saúde em Português

Saúde em Português, fundada em 1993, é uma ONGD e IPSS, com sede internacional em Coimbra, que tem como missão promover a saúde, a integração social e comunitária, com vista ao desenvolvimento integral da pessoa humana, respeitando e assegurando os seus direitos e liberdades fundamentais.
Esta organização está ainda localizada em Viseu, através da sua Delegação Regional do Centro, na Guarda, através do Núcleo Distrital da Guarda e, mais recentemente, em Lisboa, com a Delegação Regional do Sul.
Para realização da sua missão, Saúde em Português tem desenvolvido Projectos de Cooperação para o Desenvolvimento, de Ajuda Humanitária de Emergência, e Projectos de Sensibilização, Intervenção e Integração Social e Comunitária em benefício das populações mais vulneráveis, estratégicas e em risco.
​Saúde em Português dispõe ainda de um centro de formação onde são realizados cursos de formação auto-financiados e financiados dirigidos a profissionais de saúde, profissionais das ciências sociais e estudantes, entre outros.

Formadores(as):

SOFIA FIGUEIREDO é licenciada em Direito e Pós-graduada em Direitos ​H​ umanos e Democracia pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra. Está a frequentar um Mestrado em Direitos Humanos e o Course in United Nations Peace Support Operations da Organização das Nações Unidas. ​Realizou formação em Direitos Humanos, Trafico de Pessoas e Ajuda Humanitária de Emergência em diversos países, como ​Espanha, ​ Polónia, Turquia, Reino Unido, Alemanha, Roménia e Canadá. Na área do Apoio ao Desenvolvimento, ​r ealizou uma Missão de Monitorização de projecto a Cabo Verde. Foi ​coordenadora de diversos projectos, e ​ fundadora e Coordenadora do Centro de Acolhimento e Protecção a Vítimas de Tráfico de Seres Humanos do Sexo Masculino até Janeiro de 2016. Actualmente é Directora Geral da Akto - Direitos Humanos e Democracia. ​ É formadora nacional e internacional sobre Direitos Humanos​, nomeadamente na área do tráfico de seres humanos.

ANA RITA BRITO ​é licenciada em Sociologia pela faculdade de Economia e Universiade de Coimbra. ​T ​ rabalhou numa ONG de 2010 a Abril de 2016 como socióloga. Tem experiência em projectos de investigação, principalmente sobre voluntariado em Portugal.Foi Coordenadora de diversos projectos, ​ ​ nomeadamente sobre participação das mulheres na vida pública e sobre direitos ​de pessoas ​ LGBT. No âmbito do programa Erasmus +, participou em actividades na Estónia, Kosovo, Polónia e Espanha. Tem experiência como formadora, na área da violência doméstica, em São Tomé e Príncipe e ​sobre t ráfico de ​s​ eres ​h​ umanos na ​Su​ íça, bem como ​, inúmeras​ formações sobre Direitos Humanos em Portugal. Em Dezembro ​ de 2013​ , participou numa Missão de Ajuda Humanitária e de Emergência às Filipinas, como logística e especialista em violência baseada no género. Actualmente, é Coordenadora de Projectos Internacionais da Akto - Direitos Humanos e Democracia.

HERNÂNI CANIÇO Médico, Doutorado pela Universidade de Coimbra, Coordenador na Unidade Curricular de Medicina Geral e Familiar e na Unidade de Medicina Humanitária da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, Orientador de Mestrado e Membro de Júri de Provas de Mestrado Integrado em Medicina. É Chefe de Serviço de Medicina Geral e Familiar no Centro de Saúde de S. Martinho do Bispo (Coimbra). É Orientador de Formação, e tem a Competência de Gestão de Serviços de Saúde pela Ordem dos Médicos. É Presidente da Direcção de Saúde em Português desde a sua fundação, tendo realizado 43 missões exploratórias, de reconhecimento, formação e avaliação, em África, Ásia e América Latina. Fundador do único Centro de Acolhimento e Protecção a Vítimas de Tráfico de Seres Humanos do sexo masculino em Portugal, aprovado pela Secretaria de Estado da Igualdade e dos Assuntos Parlamentares (XIX Governo Constitucional de Portugal) e pela Secretaria de Estado da Cidadania e da Igualdade (XX Governo Constitucional de Portugal), atribuído a Saúde em Português. Foi coordenador técnico e científico de dezenas de projectos de ajuda humanitária e ao desenvolvimento, e tem mais de duas centenas de trabalhos comunicados e publicados. ​